Terça-feira, 26 de Outubro de 2004

Privacidades e disparates

Impõe-se que aqui dê voz à Associação Internacional das Amas Sem Paciência Para Putos, que se manifestou convictamente apoiante de um parecer da Comissão de Protecção de Dados.Segundo a sua porta-voz: “Assim a gente trabalha com outra tranquilidade”.
A Comissão de Protecção de Dados pronunciou-se desfavoravelmente em relação à instalação de câmaras de vídeo numa creche, as quais iriam permitir que os pais pudessem visualizar os filhos via net.
Segundo a CPD, a monitorização constitui uma violação da privacidade das crianças.
Não me vou aqui pronunciar sobre o problema jurídico da disponibilidade dos pais sobre o direito à privacidade dos filhos menores. Isso fica para os teóricos universitários.
Só que este parecer despoletou reacções de outras organizações igualmente dignas de nota e respeito. Via email, chegaram reivindicações da Grande Irmandade de Assaltantes de Bombas de Gasolina, da Associação de Cleptómanos Compulsivos dos Hipermercados, do Grupo de Intervenção Armada em Bancos, entre outros, cuja relação seria fastidiosa, e que tinham em comum o seu protesto face à sistemática violação dos seus mais elementares direitos, de entre os quais salientavam o problema do seu direito à privacidade, no momento do desempenho das suas funções.
Agora falando sério, quando tinha os filhos na creche, ficava muito mais tranquilo se soubesse que tinha a possibilidade de controlar o modo como eles eram tratados. As câmaras, mesmo quando desligadas, são dissuasoras.
Só quem anda preocupado com outras coisas (Quintas, por exemplo) pode desconhecer o elevado número de situações de maus-tratos a crianças por quem as tem à sua guarda. Igualmente desconhecerão que raramente as crianças denunciam, por serem convencidas que esse tratamento se deve ao seu mau comportamento.
Fica-me a ideia que a Comissão se pronunciou tendo apenas em consideração a forma da lei e não as suas incidências práticas. Ou será que não temos todos o direito à privacidade quando andamos às compras num hipermercado ou entramos num posto de abastecimento de combustíveis, somos filmados e nem sabemos o destino dado às filmagens? Será que temos?


Ainda a tempo - A TVI, através do seu repórter em Albufeira, inventou uma nova unidade de medida: “a pena mais baixa atribuída aos soldados da Gnr, foi de um vírgula seis anos de prisão, ou seja, um ano e meio”

publicado por bartsky às 21:11
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De Anónimo a 28 de Outubro de 2004 às 03:44
é mais estado sant'ana nos valha...Tangas
(http://tangaslesbicas.blogs.sapo.pt)
(mailto:tangas_lesbicas@sapo.pt)


De Anónimo a 27 de Outubro de 2004 às 01:58
Ok e essa nova medida a "Vírgula" tem como submúltiplos o ponto de interrugação, ou o ponto final?LetraNegra
(http://bramsdelata.blospot.com)
(mailto:nightwitx@hotnail.com)


De Anónimo a 26 de Outubro de 2004 às 22:02
Um estado polícia? Empresas vigiadas? É o que se passa em muito sítio, por exemplo em empresas privadas onde as pessoas se deslocam entre departamentos desconfiadas,,,depois querem mais produtividade com a desconfiança instalada.hammer
(http://hammer.blogdrive.com/)
(mailto:hammer.poing@blogdrive.com)


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. Novidades

. ...

. Actualização

. Ser português

. ...

. Este blog já não mora aqu...

. Aniversário

. Bom fim de semana

. Sempre

. Este blog já não mora aqu...

.arquivos

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds