Sexta-feira, 17 de Setembro de 2004

Função Pública





Pela vossa rica saúde, esclareçam-me, porque estou à beira de entrar em angústia metafísica, crise de identidade, e até já comecei a roer as unhas...




Sem pôr em causa a necessidade ( urgente ) de avaliação dos serviços da administração pública, fico intrigado com esta coisa da avaliação dos funcionários públicos, e a bagónica entrevista de ontem, também não conseguiu tirar-me deste martírio. Por isso, imploro aos meus queridos leitores que, caso tenham uma resposta, me expliquem como se faz a avaliação das seguintes profissões públicas.


Porteiro - avalia-se a sua produtividade pela velocidade com que abre e fecha a porta?


Funcionário da Tesouraria da Fazenda Pública - avalia-se pela quantidade de impressos que consegue vender ou, de preferência, se consegue colocá-los no "mercado" a preço mais elevado?


Professor - pelo número de alunos aprovados? Pelas notas dadas? ( critério perigoso!!! ).


Inspector da Judiciária - pelo número de apitos dourados capturados? Se a criminalidade desce, estão desgraçados.


Presidente do Instituto de Estradas de Portugal - pelo alcatrão que consegue poupar? ( ai as nossas suspensões), pelo número de pontes que não deixa cair?



Deputado da A.R. - pelo número de vitórias argumentativas sobre os adversários políticos? Pelas viagens ao estrangeiro?



Ministro - pelo número de compadres que nomeia?

publicado por bartsky às 12:51
link do post | comentar | favorito
7 comentários:
De Anónimo a 22 de Setembro de 2004 às 00:23
Perdão pela ortografia, escrevi demasiado depressa com a raiva...Amante...
</a>
(mailto:lisbonlatin@hotmail.com)


De Anónimo a 22 de Setembro de 2004 às 00:20
Na CML faz-se assim... Numa classificação de zero a dez, NENHUM chefe de divisão dá a NINGUÉM menos de 7,5, mereça-se ou não, para não prejudicar as futuras promoções do mesmo... Mais perverso é o facto cada Chefe o fazer porque se não o fizesse, estaria a colocar o seu subordinado numa situação de desvantagem, nos concursos internos de promoção, em relação aos dos outros generosos chefes... E um 7.5 é muito raro e é uma dor de cabeça, com o funcionário a recusar-se a trabalhar, a chamar o sindicato e com testemunhas e crucificam logo o/ Chefe, ou seja, os bons trabalhadores vêm os maus com o seu 8 ou 9 eles com a mesma nota... Processos disciplinares ??? Qual é o/a Chefe que se quer meter em trabalhos ??? Os Directores de departamento estão-se a cagar se os/as Chefes trabalham bem, porque ha de um/a chefe arranjar comicões... Despedir ??? Há quem espanque os chefes ou colegas, mais vezes do que se pensa e, bem la no pior dos casos, é transferido/a... Responsáveis ??? Claro que há, mas não exercem a responsabilidade, todas ganham certinho ao fim do mês, pinga sempre e estar no quadro é para a vida toda... Eu ??? Há 6 anos a recibo verde... Entrego um recibo verde, por exemplo referente ao m~es de Agosto, mas entrego-o a dia 1 desse Agosto e a Chefe assina que o trabalho foi realizado nas devidas condições, depois de consultar a bola de cristal claro... Sim, só recebo no fim de Agosto, quando o processo (processos novos todos os mezes) não vem para tráz... Chega ??? Esclarecido ??? Abraço e bom Blog, vou linka-lo no meu...Amante...
</a>
(mailto:lisbonlatin@hotmail.com)


De Anónimo a 18 de Setembro de 2004 às 14:50
É verdade que muitos funcionários públicos produzem pouco. É verdade que a distância ao patrão Estado leva ao desleixo, à falta de empenho, a irresponsabilidade. Também há muitos que trabalham muito e bem. Mas com esses não vamos preocuparmo-nos. Já ouviram algum forum TSF sobre função pública? Repararam quantos funcionários públicos telefonaram a meio da manhã? Imaginem os empresários fabris, os pedreiros, os empregados de restauração, os empregados de escritório, etc., imaginem estes e outros a interromperem o trabalho para telefonarem para a TSF. E já repararam nos benefícios sociais que aqueles auferem, e estes? Vá lá não reclamem, empenhem-se dediquem-se, trabalhem, porque aí não se preocupam em serem avaliados. Vá lá, que somos todos quem paga isso tudo!jp
(http://acasosdiarios.blogspot.com)
(mailto:mistery_j@hotmail.com)


De Anónimo a 18 de Setembro de 2004 às 10:24
os funcionários públicos são os culpados de todos os males do país, disse o sacristão B. Félix.

com aquelas palavras mansas, e os sorrisos delicodoces, vai enaganando os néscios deste país.Gloria Feminina
(http://Gloriafeminina.blogs.sapo.pt)
(mailto:J.augustus@sapo.pt)


De Anónimo a 17 de Setembro de 2004 às 23:14
Eu sinceramente julgo que a tecla da falta de produtividade, já está gasta e julgo tratar-se de uma falsa questão! O trabalhador português está farto de dar bons exemplos de produtividade...mas porque será que isso acontece onde é bem pago? e onde lhe dão melhores condições a vários níveis? Penso que a incapacidade de Gestão/Governação leva a que se encontrem várias desculpas, entre elas a da falta de produtividade do "povo".
lion_a
(http://estoufarto.blogs.sapo.pt)
(mailto:ajlgoncalves@hotmail.com)


De Anónimo a 17 de Setembro de 2004 às 20:53
Pois eu acho muito bem que se avalie a produtividade dos senhores do Estado.
Têm de começar pelo P.M., ministros, secretários, amigos, "boys" e outros quejandos.ducontra
</a>
(mailto:ducontra@sapo.pt)


De Anónimo a 17 de Setembro de 2004 às 20:39
Bem visto. Em todo o caso há realmente alguns casos de pouca produtividade. No entanto, a conversa dos senhores do poder dá ideia que todos os portugueses são calaceiros, preguiçosos e absentistas. Eles lá sabem do que falam. Afinal ainda hoje a comunicação social dá conta de que os portugueses são os menos absentistas por motivo de doença da Europa Comunitária. Cá por mim, trabalho 44 ou 45 horas por semana. Acho que chega ou não?lfacoca
(http://golpedevista.blogs.sapo.pt)
(mailto:lfilipesilva@tvtel.pt)


Comentar post