Sexta-feira, 30 de Julho de 2004

J. Sá Fernandes - as nossas indemnizações

Não posso deixar de prestar a minha homenagem a um homem que decidiu enfrentar o poder do Estado, confrontando-o com as suas ilegalidades ou abusos do poder.


Tem surgido na opinião pública como uma espécie de vingador e porta voz do cidadão comum que, em regra, se sente impotente perante o Estado. Mas estas actuações levantam outro problema.


Ao conseguir que o Estado seja condenado, obtém indemnizações. E a questão surge exactamente no plano das indemnizações e pode equacionar-se da seguinte maneira.


Será que os agentes da administração aprendem a lição, evitando futuros atropelos dos direitos dos cidadãos?


Será que são pessoalmente responsabilizados pelo prejuízo que causam aos dinheiros públicos?


É que é simples brincar com o dinheiro dos outros quando não somos responsabilizados.


As pontes caiem por negligência dos respectivos serviços inspectivos e o Estado indemniza as vítimas.


As passagens pedonais caiem sobre automóveis e volta-se a indemnizar.


Constrói-se uma via rápida encostada a um prédio de habitação, mais indemnização.


As indemnizações são justas e merecidas. A questão é saber porque é que havemos de ser nós, os contribuintes, a pagar dos nossos impostos as consequências da incompetência e negligência daqueles a quem já pagamos ordenados.


E, na origem disto, estará sempre a irresponsabilização dos agentes da administração pública.

publicado por bartsky às 11:24
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 26 de Julho de 2004

GREGOS DANADOS

Estou a pensar seriamente em pedir a nacionalidade brasileira.
Antes do 25 de Abril, no estrangeiro, dizia-se baixinho que eramos portugueses, por causa das vergonhas nacionais.
Acho que temos de voltar ao mesmo, se não vejamos.
O ano passado Marrocos mandou-nos uns aviões para ajudar a combater os incêndios. É o que nos vale é termos grandes potências como Marrocos mesmo aqui à mão de semear...
Agora é a Grécia que vai mandar uns aviões.
Eu ainda não acredito que seja verdade. Cá para mim é alguma notícia maliciosa para nos rebaixar.
Que eles nos tenham ultrapassado e atirado para o último lugar antes do recente alargamento da U.E., ainda vá...
Que nos tenham ganho no futebol com aquele jogo tipo nem lá vou nem deixo de ir, também passa.
Agora que nos mandem aviões - isto é, eles que têm uma floresta mediterrânica complicada terem condições para disponibilizar aviões nesta altura do ano - isso é que não.
Não me conformo e, consequentemente vou ter de endereçar daqui os meus agradecimentos a todos os governos democratas nacionais pelo brilhante trabalho que têm vindo a desenvolver.
Só não agradeço ao Salazar e ao Marcelo Caetano porque esses fizeram o que lhes competia à luz dos seus padrões.
Segue agradecimento no texto seguinte.
Ah, viva a Grécia!!!
publicado por bartsky às 22:26
link do post | comentar | favorito

AGRADECIMENTO AOS GOVERNOS LUSOS

Andamos todos tão contentes, tão agradados com a nossa vida, que não posso deixar de aqui formular o meu agradecimento aos governos lusitanos dos últimos trinta anos. Só recomendo aos senhores titulares de cargos políticos, presentes e passados, que não apareçam disfarçados nas feiras, tascas, cafés e autocarros deste país ( enfim, qualquer lugar onde se possam juntar mais de dois portugueses ). É que nos últimos tempos tenho diversificado o meu conhecimento da língua portuguesa ouvindo alguns epítetos que só costumava ouvir no antigo mundo rural quando o gado se desmandava.


 AGRADECIMENTO


 1. Por nos terem colocado na cauda da Europa ao fim de trinta anos de democracia.


 2. Por terem assinado à balda um Pacto de Estabilidade que nos obriga a apertar o cinto quando ainda nem atingimos os mínimos dos outros países europeus.


 3. Por terem permitido que os médicos espanhóis que não tem nota para lá trabalharem ocupem os lugares de alunos portugueses que se candidatam com 18 e não entram em Medicina.


 4. Por manterem o Estado português como o maior caloteiro nacional.


 5. Por transformarem a administração pública numa espécie de asilo para inúteis partidários, geralmente incompetentes.


 6. Por tratarem a pátria lusitana como se fosse a sua quinta e os lusos como servos da gleba.


 7. Por desbaratarem o dinheiro público - nosso - em obras de fachada, desprezando o essencial.


 8. Por colocarem na pasta da Justiça donas de casa com os dentes amarelos.


 9. Por manterem um ensino público sem Norte, vagueando ao sabor das "iluminações" partidárias.


 10. Por recusarem aos nossos jovens uma educação sexual digna desse nome.


11. Por mudarem os livros de ensino todos os anos.


12. Por sacrificarem fiscalmente os trabalhadores por conta de outrém.


13. Por facilitarem a evasão fiscal.


14. Por proporem numa legislatura aquilo que tinham recusado quando na oposição.


 15. Por terem liquidado a agricultura ( a Estremadura espanhola agradece ).


16. Por serem tacanhos e provincianos.


17. Por nos mentirem descaradamente durante as campanhas eleitorais.


18. Por fazerem de nós parvos. Os resultados eleitorais têm demonstrado que não somos assim tão parvos como eles pensam.


19. Por terem os ministérios cheios de gente sem que se vejam resultados práticos.


 20. Por ignorarem os dados da ciência.


 21. Por, em regra, serem golpistas.


22. Por terem um paleio balofo, para enganar o patego.


 23. Pelo funeral de Estado de Maria de Lurdes Pintassilgo ( parecia o de Sá Carneiro! ).


 24. Por deixarem arder as nossas florestas.


 25. Por deixarem poluir os rios.


 26. Por permitirem a especulação fundiária ás mãos de tudo quanto é pato bravo.


27. Por lançarem imposto sobre imposto nos automóveis.


28. Por fugirem quando a coisa fica preta.


29. Por darem ao Paulo Portas a pasta de Ministro do Mar sem o homem saber.


30. Por nomearem como Ministro do Ambiente um licenciado em Direito.


 31. Por não terem qualquer consideração por nós que lhes pagamos os ordenados.


 Como é que eu explico aos meus filhos, conhecedores de outros países, a inépcia, a negligência, o oportunismo e a incompetência?


 Como é que lhes justifico a nossa passividade geral perante este gozo governativo?


 Como me desculpo por contribuir para o seu não futuro?


É simples: falo-lhes das últimas contratações do Benfica e promovo-lhes o gosto por telenovelas.


 Não resolve, mas distrai...

publicado por bartsky às 17:45
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

CUIDADO!

Ouvi há pouco nas notícias que este ano já ardeu uma extensão maior do que em igual período do ano passado.

Significa isto que o aumento do preço dos combustíveis em 1 cêntimo, não resultou.

Em consequência, como este governo é a continuação do anterior em versão hard, vamos rapidamente ter novo aumento dos combustíveis por forma a obter meios para combater os fogos florestais.

E se não resultar, novo aumento...

Estes rapazes são inteligentes.
E trabalhadores.
E rodeiam-se de gente que os sabe aconselhar.

E um dias destes a estúpidez será tanta que se abrem as portas para uma surpresa eleitoral de um qualquer partidozito radical.
Sim, que nós não somos dados a vir para a rua armados de vassouras e frigideiras para corrermos com tanta incompetência.

Putas? Sim, mas não querem que se saiba...
publicado por bartsky às 13:05
link do post | comentar | favorito
Sábado, 24 de Julho de 2004

CARLOS PAREDES - o meu mundo está morrer

Morreu Carlos Paredes.
Se não fosse português era conhecido em todo o mundo.
Como nasceu aqui até o prenderam, no tempo da outra senhora.
Pergunta ingénua: será que a direita tem alguma coisa contra a inteligência?
É que estava aqui a lembrar-me de um moço da Linha chamado Sousa Lara e de um episódio com o Saramago.Este, escoicinhado pelo Psd,foi agraciado pelo Nobel...
Mas isso não interessa, que a mediocridade subserviente sempre foi bem tratada pelo nosso poder.
O que interessa é que o Carlos Paredes me hipnotizava com a sua música, me acariciava a alma e me deixava pronto para sonhar com um mundo de harmonia.
Tem morrido tanta gente que me habituei a ter como companheira das minhas emoções, que me interrogo se, aos cinquenta anos, o nosso mundo começa a morrer, antecipando e prevendo a nossa vez.
Sem o conhecer pessoalmente, tinha por Carlos Paredes a ternura que se tem por um avô que nos inventa estórias: este inventava-me sons...
Morreu um pouco de mim!
E estou triste.
publicado por bartsky às 12:23
link do post | comentar | favorito

Aumentos da pensões

Li agora mesmo no Sapo que o governo se propõe aumentar as pensões mínima e social.

Será que acabou a crise ou começou a operação de charme à Santana?

Será que é a isto que chamam populismo?

Será que é disto que alguns têm medo na actuacção descabelada de Santana Lopes?

Socorro: quero ser espanhol...
publicado por bartsky às 12:19
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 22 de Julho de 2004

Malabaristas Riquinhos

No passado Sábado tomou posse o último governo da nação.
Tão fresquinho e já tão cheio de disparates.
Já nem falo do facto de este ser um governo do jet set - finalmente estes coitaditos conseguiram chegar ao poder pela via da sucessão quase hereditária, já que pela via eleitoral nunca lá chegariam.

Refiro-me à enorme trapalhada que têm sido os actos de posse destes riquinhos.

Começou pelo Paulinho com uma cara de admirado que vai ficar na história, ao lado da do Bush quando tomou conhecimento dos ataques do 11 de Setembro, porque, pelos vistos, não sabia que, para além de Ministro da Defesa, também era Ministro do Mar.

Agora foi a trapalhada de uma senhora - loira, como convém - que, embora indicada como Secretária para a Defesa, é transferida à última hora para as Artes e Espectáculos.

É claro que não há razão nenhuma para nos espantarmos, porque é do conhecimento geral a estreita conexão que existe entre as matérias da Defesa e as das Artes e Espectáculos.

E só a tradicional má língua portuguesa se pode espantar e inquietar com este fenómeno de polivalência.

E essa coisa de se ter anunciado redução do número de elementos do governo e afinal ter aumentado, ou de se irem recrutar pessoas das várias zonas do país e agora serem praticamente todos de Lisboa, só pode gerar comentários a esses arruaceiros dos jornalistas que, à falta de futebol, se metem onde não são chamados.

Vai uma aposta que, não tarda nada, o Santana está a fazer o apelo do Cavaco: deixem-nos trabalhar.

E tem razão, para que é que o estamos a incomodar com estas questões de pormenor?

O número dois do governo não sabia bem qual era a sua pasta? E então?

Era preciso arranjar um tacho para a Srª de Caeiro e fez-se uma habilidade? Caramba, até parece que é a primeira!
publicado por bartsky às 16:43
link do post | comentar | favorito

Pensamento de Verão

Saiu o cherne entrou o carapau de corrida...
publicado por bartsky às 16:06
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 20 de Julho de 2004

Abrupto

Descobri os blogs da pior maneira: através do Meu Pipi.


 Devo dizer que ainda sou um blogueiro aprendiz. Mas, daquilo que já vi, valeu a pena "blogar" para conhecer o outro lado do Dr. Pacheco Pereira. Nas conversas da TSF, raramente concordava com os seus pontos de vista políticos.


 Saliente-se também que não é por agora ter começado a bater no Psd que a minha apreciação do JPP mudou. Nem é a questão política em sentido estrito que me leva a escrever estas linhas.


 É que descobri no homem uma frontalidade e desapego que lhe desconhecia, encoberta nas mais das vezes pelo papel de defensor quase oficial das posições do partido. Descobri também que não perdeu a capacidade de se revoltar que lhe era própria noutros tempos.


 O país perdeu um deputado e um político oficial. Mas ganhou um homem político, liberto de compromissos partidários e, por isso, livre pensador.


 Quem lê o Abrupto ( www.abrupto.blogspot.com ) descobre, para além do mais que fica dito, um homem com uma cultura notável e que, parece-me, tem sido desperdiçado por esta nobre pátria.


 Viva a diferença, num país onde quase todos se vergam por um empregozito ou uma benesse de quem manda! Aqui, onde ninguém contraria a autoridade por medo de represálias, o JPP ousou.


 Estou certo que vai ser retribuido pelos donos do poder.

publicado por bartsky às 21:15
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 13 de Julho de 2004

Impostos para incêndios

É ou não verdade que o defunto governo de Portugal lançou um imposto de um cêntimo por litro de combustível para criar meios que combatessem os incêndios?

É sim senhor.

Será verdade que o que não ardeu o ano passado vai arder este ano?

Será que o sucesso dos governos PSD no combate aos incêndios florestais vai ser igual ao sucesso no combate ao defice das finanças públicas?

Tenho uma sugestão que deve dar tanto resultado como as medidas que estes tipos têm tomado: peguem nos cêntimos todos que estão a extorquir à gente e atirem-nos para cima do fogo.

Não deve resultar, mas como a gente já está habituada a medidas que não resultam, é mais uma.

Fazendo minhas as palavras de Manuela Ferreira Leite: vocês não merecem o ordenado que ganham.
Se trabalhassem numa empresa privada já tinham sido despedidos...
publicado por bartsky às 19:21
link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


.posts recentes

. Novidades

. ...

. Actualização

. Ser português

. ...

. Este blog já não mora aqu...

. Aniversário

. Bom fim de semana

. Sempre

. Este blog já não mora aqu...

.arquivos

. Março 2006

. Janeiro 2006

. Novembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds