Segunda-feira, 18 de Outubro de 2004

Degradação futebolística

Não gosto de falar de futebol. Acho que se discute demasiado uma coisa que serve para ser apenas jogada.Abro, no entanto, esta excepção.
Dispam-se de vestes clubistas e qualifiquem as declarações dos dirigentes benfiquistas acerca da mulher ou companheira, seja lá o que fôr, do dirigente do F.C. do Porto.
Eu não sou capaz de as qualificar mas, como não conhecia os ditos senhores, fiquei a conhecer o seu carácter e educação.Sejam quais forem as razões que possam assistir ao Benfica, aquele tipo de afirmações é inadmissível entre gente civilizada.
Da próxima vez que um clube se sentir injustiçado, vamos assistir a declarações acerca do odôr dos pés do dirigente adversário ou das suas preferências religiosas, coisas que, como se sabe, têm forte interferência no decurso de um jogo de futebol.
Por favôr: é apenas um jogo de futebol. Não resulta dele a descida dos combustíveis ou do pão, nem auxilia na resolução da miséria e desemprego no nosso país. Demos-lhe a dimensão que tem, não mais do que isso, ao ponto de fazer descer o nível ao patamar da linguagem do pedreiro no andaime, sempre que vê passar uma fêmea entre os doze e os oitenta anos.
Tenham juízo.
publicado por bartsky às 15:48
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De Anónimo a 20 de Outubro de 2004 às 19:48
Embirro solenemente com estes "culturais", que se julgam pessoas importantes para meia duzia de pessoas, para os mesmos.Tratem-sesaridon
</a>
(mailto:saridon@aeiou.pt)


De jpardete a 3 de Julho de 2011 às 16:10
Eu também embirro com os "culturais"!
Em certas condições é lícito utilizarmos esta linguagem.
Agradeço-lhe de qualquer modo por ter sido a pessoa que me classificou de "cultural". Nunca tinha tido tal honra.


De Anónimo a 20 de Outubro de 2004 às 19:47
Realmente quer-se fazer crer que este País é um País de gente culta, como dizia o "paparratos", ponham uma albarda de livros num burro e passam-lhe a chamar Dr.. è assim que este País é dos mais atrasados da Europa, incluindo os tais Doutores e homens de cultura provinciana. Na verdade se fossem Bons, não estavam cá a comer á conta do orçamento e dos meus impostos. Portugueses com 2 dedos de testa, não moram cásaridon
</a>
(mailto:saridon@aeiou.pt)


De Anónimo a 20 de Outubro de 2004 às 19:38
Como propriamente diz que não conhece, então advogar sem o saber, é sempre cair no lugar comum. Se não se conhece, diga, não sei o que motivou, então, tente-se informar..Olhe comece por se informar junto do Alexandre Pinto da Costa, que é o seu primeiro filho, que nem sequer fala com o Pai. Fale com a sua Filha Joana Pinto da Costa, que tambem não fala com ele.

defender este tipo de gente, que tem um tratamento de figura publica, mostra bem a decandencia a que o País chegou, isso sim, é que é lamentavel.

Ja não lhe falo de outras coisas, que são caso de policia..Policia? mas ela não existe, ou existe?saridon
</a>
(mailto:saridon@aeiou.pt)


De Anónimo a 20 de Outubro de 2004 às 01:31
Totalmente de acordo. O futebol esta-se a tornar cada vez mais num negócio mesquinho onde vale tudo pelo interesse.. Bandeiras? Clubismos? Enquanto os houver, haverão sempre guerras e discórdia. tutank
(http://notas.blogs.sapo.pt/)
(mailto:kaus@sapo.pt)


De Anónimo a 19 de Outubro de 2004 às 19:50
Tambem não ligo muito a este fenómeno mundial, embora aceite que se goste...
mas, uma coisa é certa: mobiliza mais massas do que qualquer partido político...estranho, não?hammer
(http://hammer@blogdrive.com)
(mailto:hammer.poing@blogdrive.com)


De Anónimo a 19 de Outubro de 2004 às 15:45
Exmo. Senhor, estou em total desacordo com o conteúdo deste seu artigo. Reconhece pouco saber de futebol (enquanto jogo), como também fica patente pela sua análise que pouco percebe de futebol como fenómeno social e cultural que indiscutivelmente ele é. Os comentários proferidos relativamente à amante ou namorada de um dos intervenientes neste espectáculo mediático, não são assim tão descabidos, nem são presságio dessa má educação apregoada por V. Exa.. Apenas consubstanciam o envolvimento da dita figura na vida activa futebolistica, não correspondendo os mesmo a qualquer inverdade. São apenas resposta a quem na mesma moeda se comportou em pleno estádio da luz. Como é obvio o futebol não é comparável ao preço do pão, do défice do orçamento de estado, ou qualquer indicador económico, mas o futebol e os seus resultados garanto-lhe que são capazes de os influenciar. Não se esqueça que a politica e o jogo de interesses entre futebol e politica, levaram a que o governo se imiscuisse num assunto que não era da sua competência directa (refiro-me à organização do jogo Benfica-porto). Isto sim é vergonhoso, ver a politica ir a reboque de interesses particulares. Mas este governo já nos habituou a isso mesmo, a defender sempre o bem próprio e não o bem de portugal e de todos os portugueses.TE
</a>
(mailto:zmmmz@iol.pt)


De jpardete a 3 de Julho de 2011 às 16:19
Sua Excelência está totalmente enganada!
Não só joguei e não foi só no banco, porque até fim parte da selecção universitária de Lisboa, como fui dirigente desportivo durante longos anos.
Por favor. envie-me a data do seu aniversário e terei muito prazer em lhe oferecer um espelho


De Anónimo a 18 de Outubro de 2004 às 20:03
Toda a razão bartsky! não te esqueças que o futebol não é diferente das empresas ou do Estado... existe muita gente com muita vontade de torcer os pescanhoços uns aos outros. Admira-me é que estes senhores?!? do futebol não tenham já entrado no esquema da brutidade total?!? quem sabe a "maria da fonte" não se insurja com base no futebol?!? heheheteikdbra
</a>
(mailto:teikdbra@hotmail.com)


Comentar post